Jovens Querem Mudanças, mas o que fazer?

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Por Guilherme Ribeiro

O jornal O Estado de S.Paulo publicou no último sábado, 14 de dezembro, o caderno especial Focas, editado pela turma do 24° Curso Estado de Jornalismo, que tem como tema central a participação da juventude na política e nos protestos que tomaram as ruas. As reportagens foram feitas pelos estudantes do curso que ouviram jovens que participaram, ou não das recentes manifestações.

É bom lembrar que desde 2002 o Partido Progressista (PP), o qual eu faço parte, reforçou a participação da Juventude Progressista (JP), dando espaço para o jovem vivenciar a política, se expressar e influenciar nas decisões partidárias. Atualmente sou secretário geral da JP e vejo com bons olhos o empenho dos jovens no futuro do PP. Foi por isso, que utilizei o espaço no horário eleitoral para destacar essa manifestação pacífica e ordeira de quem protestou por um País melhor e, também para reforçar que o jovem deve de fato participar da política.

Por isso, li com atenção todas as reportagens que foram editadas pelo amigo Luiz Carlos Ramos, um veterano e muito competente jornalista, radialista e professor da PUC e do Curso Estado de Jornalismo. Como dado relevante, vi que 40% dos entrevistados acreditam que as manifestações vão influenciar no resultado das eleições. Vejo, assim, o desejo de mudança.

Outro dado interessante apresentado na publicação é que 66% dos entrevistados, incluindo pessoas da própria casa, não aderiram às manifestações. Apenas 15% afirmaram que participaram; outros 10% disseram que alguém de sua casa foi a um dos protestos; e outros 8% falaram que ele e mais alguém da família abraçaram a causa. Tem mais: 61% afirmam ser contra a participação de partidos políticos nas passeatas, enquanto outros 25% são a favor.

Novamente, gostaria de ressaltar que a presença do jovem na política é fundamental e que o PP está de portas abertas para a juventude: e queremos ouvir sua opinião. Vale lembrar que protestos com violência não levaram o Brasil a lugar nenhum, o principal instrumento de mudanças na Democracia é o voto! E os jovens devem exercer esse papel, de analisar e escolher bons candidatos para um País melhor.
Abaixo os links do site da JP e da matéria do ‘Estadão’.

Site: www.juventudeprogressista.com.br

Matéria: www.estadao.com.br/especiais/as-manifestacoes-seis-meses-depois,220499.htm

Guilherme Ribeiro é o secretário geral da Juventude Progressista

 

 

Artigo Anterior

IPVA 2014- Tabela de Vencimentos

Próximo Artigo

Justiça decreta prisão preventiva de ex-diretor de autarquia em Brodowski

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *