Tentando Manter o “Coronelismo”!

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

A fórmula perseguidora, repressora e ameaçadora adotada há muito tempo pelos detentores do poder político de Altinópolis, parece mesmo, não querer quedar.

Tomemos por base, os rumores que correm na câmara municipal, (quase toda contaminada por esta formula), no sentido de abrir procedimento de cassação de mandato ao vereador “Zé do Carmo” (PSOL).

A sessão plenária que arquivou na câmara a abertura de Comissão Processante que poderia culminar com a cassação do mandato do prefeito Nanão; que usou dinheiro publico para fazer viagens aéreas para ele e sua família, ainda repercute. Tudo por conta da indignação de “Zé do Carmo” frente ao absurdo daquela sessão com veemente manifesto em tribuna.

O vereador do “PSOL” usou de seu direito e de seu dever enquanto representante eleito pelo povo para proferir de forma legitima, sua perplexidade em relação à aceitação da maioria dos vereadores para com os abusos cometidos por Nanão e seus beneficiados em detrimento do erário publico.

Usando das prerrogativas que lhe são conferidas pela Constituição Federal, na defesa da decência e limpeza dos atos improbos da política local, “Zé do Carmo” falou verdades que muitos dos que ali estavam gostariam de ter falado. Tudo baseado em provas e com a coragem que só os destemidos e sem “rabo preso”, conseguem fazer.

A câmara municipal de Altinópolis, quase sempre composta na maioria de seus membros, por vereadores situacionistas, quase todos, ou todos, com interesses pessoais á frente do coletivo, talvez não imaginasse que um veterano político, pudesse desmascarar cada um em publico. Foi o que fez “Zé do Carmo”!

Quem La esteve naquela noite, ou quem acessou os vídeos daquela sessão, dispostos aqui mesmo no Altiaqui, pode perceber que não só “Zé do Carmo” se mostrou indignado com a atitude desonesta dos vereadores da situação, mas também e fundamentalmente, os vereadores suplentes convocados para aquele ato, isso sem falar, na população que lotou a casa. Quem foi aplaudido pela população por conta de seus manifestos? Quem foi vaiado por esta mesma população, por conta de seus votos comprados?

Diante do enfrentamento tardio e necessário, o presidente da câmara, “Marquinho Garrincha”, suscita em entrevista concedida ao Jornal pago por nós e contratado pro Nanão/FerreiraTribuna de Altinópolis”, que teria havido ofensa por parte de alguns vereadores de oposição, a outros de situação. Ofensas? E as ofensas que eles cometeram com cada cidadão desta terra ao darem “Habeas Corpus” aos que nos roubaram descaradamente?

Garrinchinha” chega ao disparate de dizer que espera que os ânimos se acalmem, ou senão, poderá haver pedido de cassação de mandato de vereador. Isso mostra claramente que o presidente da câmara, alem de não saber absolutamente nada com relação à imunidade parlamentar, ainda por cima, demonstra também, claramente, que tem lado político, e o seu lado, é o pior possível.

O que fez “Zé do Carmo” em tribuna, com provas nas mãos e após conclusão de relatório da CEI das passagens aéreas, mostra que alem de caráter, coragem e compromisso, Zé do Carmo tem moral, coisa que ali, os sete vereadores de situação, mostraram não ter.

Um vereador, na defesa de suas ideias a bem do município, como foi o caso de “Zé do Carmo”, não poderá jamais ser impedido por absolutamente ninguém em seus pronunciamentos, seja nas dependências da casa de leis, seja nas dependências do próprio município. È o que diz a “Constituição Federal”.

IMUNIDADE PARLAMENTAR – O ALCANCE PARA OS VEREADORES

A imunidade parlamentar é uma prerrogativa constitucional concedida aos vereadores e consubstanciada no artigo 29 inciso VIII da Constituição Federal e no caput do artigo 53 do mesmo diploma legal.

Esta prerrogativa contida na Magna Carta se faz presente a todo político quando expressar a sua manifestação sobre fatos ou acontecimentos políticos durante o exercício do seu mandato.

Vale aqui mencionar a farta jurisprudência do Pretório Excelso sobre o tema aqui levantando e a aplicabilidade do artigo 53 caput, alterado pela Emenda Constitucional nº 35/2001, estendida de forma inquestionável aos senhores vereadores no exercício do mandato.

http://www.acopesp.org.br/artigos/Dra.%20Elisabeth%20Catanese/IMUNIDADE%20PARLAMENTAR_CA_BE_ok.pdf

O vereador “” dentista, já se mostrou desconhecedor e despreparado para exercer a função da vereança, abrindo Boletim de Ocorrência contra “Zé do Carmo” por conta da sessão aqui já citada.

Quando você elege gente desse nível, gente que só olha e defende seus próprios interesses, gente que não se envergonha de colocar o nome de DEUS em seus discursos e entrevistas mentirosas, gente ligada até a alma á administração desonesta, gente que não tem o mínimo pudor em passar por cima de você e de suas obrigações de lhe defender, gente DESONESTA, gente desqualificada. Esse tipo de aberração continua a existir.

Só há uma forma de mudar tudo isso: Você!

Políticos desonestos como Nanão/Ferreira e seus sete discípulos, só existem ainda na vida política, porque você os coloca La.

Reflita! Olhe o que eles estão querendo perpetuar em nossa cidade e se pergunte: você ainda vai deixar?

Só uma coisa nos conforta: esse tipo de gente, acostumada a fazer tudo ilegal, acostumada a passar por cima de tudo e de todos, quando enfrentada, não sabe como proceder, afinal, nunca soube o que é LEGAL e LEGITIMO, e acaba cometendo os mais absurdos procedimentos. Tudo na tentativa IMBECIL de manter a qualquer custo o coronelismo chafurdado há muito tempo, só não percebido por eles.

O fim desse tipo de gente na política está bem próximo!

Ademir Feliciano

 

Artigo Anterior

A.D.A. Recontando a Administração 2009/2012.

Próximo Artigo

Governo Federal repatria US$ 4,7 milhões desviados pelo juiz Nicolau

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *