CRIANÇAS QUE EU PEGUEI NO COLO!

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

 

Final de ano é sempre assim; a gente procura refletir sobre a vida, as coisas que virão pela frente, mas, fundamentalmente, a gente se remonta ao passado e vê que está ficando velho.

Eu sempre nutri pelos meus sobrinhos o mesmo amor que tenho pelos meus filhos, porem, as surpresas que as peças da vida nos pregam, nos levam a ficarmos distantes por muito tempo daqueles que amamos.

Mesmo assim, com toda distancia, não deixamos nunca de nos amarmos com todo fervor.

Esse momento é muito pessoal e especial para mim, por isso, quero homenagear neste texto, meus filhos e meus sobrinhos. Criança que um dia eu peguei no colo, fiz dormir em meus braços, e que hoje, em sua maioria, já são mães e pais de família.

Tenho três filhos, sete sobrinhos, um monte de sobrinhos-netos e uma neta linda, todos corintianos Graças a Deus.

Luiz Augusto Feliciano, meu sobrinho mais velho, tem quase minha idade, é pai de Maria Eduarda. Luiz Augusto, por ser o primeiro sobrinho, o primeiro neto de meus pais, nós o chamamos de NENÊ; e sempre será assim: Nosso NENÊ eterno.


Augusto Dias Feliciano, (Guto), filho de meu irmão gêmeo, pai de Sofia e corintiano completamente louco. Faz parte do “Bando de LOKOS” e se orgulha de ser ARGENTINO, mas o PELÉ foi melhor que MARADONA.


Fabio Rosa (Branca de Neve) Esse eu posso dizer que ajudei a criar. Filho de minha Irmã “Dora” (a irmã mais linda do mundo), Fabio quando nasceu eu tinha 15 anos e participei de todo seu desenvolvimento. Tenho muito orgulho desse Roqueiro Maluco.


Tiago Rosa (o Antigo), esse é uma figura!Alem de tio, sou o padrinho de batismo de Tiago: talvez por isso ele tenha se saído um CERVEJEIRO INVETERADO. Eu devo tê-lo batizado com cerveja ao invés de água benta. Tiago mora na Austrália há alguns anos, mas me prometeu estar em Altinópolis no inicio de janeiro. Quero só ver!


Peço desculpas aos meus sobrinhos Claudio, Carina e Ana Paula, por não tê-los registrados aqui com fotos. Eu não as tenho, mas o amor permanece o mesmo. Quero tornar a vê-los e conhecer todos os filhos de vocês.

Meus filhos

Irã de Almeida Feliciano- musico maravilhoso que me deu o maior e melhor presente da vida: minha neta Manuela. Estou muito feliz em vê-lo mais magro meu filho. Lembre-se “nem só de Hambúrguer o homem vivera, mas de toda Salada”.


Bruna Feliciano– Um amor inenarrável! Minha magrinha linda, minha princesa eterna, meu sol, minha luz, minha inspiração. Tai o Léo com ela, agarrado como chiclete. Ta vendo filha, como sofre um velho pai. Brincadeira Léo, você é um grande cara! Tinha que ser são paulino? Seu BAMBI!


Caio de Almeida Feliciano– meu ultimo rebento (Até Agora). Filho: o pai te ama e torce muito por você. Sei que você é capaz, e eu, estarei sempre de braços abertos pra você MEU AMOR!


Eram crianças, eu peguei no colo, mas o tempo passou.

Feliz 2013 para todos vocês MEUS ETERNOS AMORES!

Hoje completo sete anos de casado com Renata e meu presente, são vocês.

Valeu!

Ademir Feliciano

 

Artigo Anterior

Funcionários Públicos Municipais entram com representação no caso IMPRAL.

Próximo Artigo

Uma mensagem que pai nenhum resiste!

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *