Vereador Osvaldo Bento e 9 pessoas são detidas por crime eleitoral em Itobi.

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Dez pessoas foram detidas no final da tarde de terça-feira, dia 8, suspeitas de crime eleitoral, no cartório eleitoral de Casa Branca.

Entre os envolvidos está o vereador de Itobi, Osvaldo Aparecido Bento, que teria dado carona para que eleitores fossem à cidade vizinha fazer a transferência do título, já que o município não tem cartório eleitoral.

Os detidos foram ao cartório eleitoral em dois carros. De acordo com a Polícia Civil, um motorista da prefeitura trouxe quatro pessoas em um carro particular. O vereador e um assessor que já trabalhou com ele em outras eleições teriam levado outras três.

A imprensa não conseguiu encontrar o vereador na Câmara e na casa dele. No entanto, ele disse para a polícia que ofereceu carona, mas só no caminho ficou sabendo que as pessoas iam ao cartório eleitoral.

Contudo, essa não foi a versão das pessoas. Um jovem que trabalha na roça, que preferiu não se identificar, disse que o vereador sabia que ele estava indo tirar o titulo de eleitor. “O vereador levou e a gente não sabia que não podia, que dava tanto rolo. Ele sabia e deu uma carona para nós”, disse.

De acordo com o código eleitoral, a pena para quem emite documentos falsos é de até cinco anos de prisão. “Ficou bastante caracterizado que houve essa facilitação e foi cedido o transporte para as pessoas que estavam interessadas, o que é proibido”, explicou o delegado Alexandre Ferraciolle Pereira.

Outra investigação
O caso será investigado com outro inquérito que já foi aberto pela Polícia Civil de Itobi, a pedido da Justiça Eleitoral. A suspeita é que existam eleitores que votam na cidade, mas que moram fora. O indício está no número de títulos eleitorais. São 6,4 mil para um município com 7,2 mil habitantes. “São duas possibilidades. De pessoas que não moram e de pessoas que residem, mas não tem o tempo necessário para essa transferência”, destacou Pereira.

A Prefeitura de Itobi informou que o motorista estava fora do horário de trabalho e fazia o transporte dos eleitores com um veículo particular. O advogado da Câmara, Hugo Cossi, informou que só será aberta sindicância contra o vereador envolvido se a Justiça Eleitoral julgar que o comportamento de foi criminoso. Todos os envolvidos foram ouvidos pela polícia e liberados. (Fonte: EPTV)



 

Artigo Anterior

Denúncia online contra propaganda antecipada ou irregular começou segunda-feira

Próximo Artigo

APROVADO GRAPROHAB EM SANTO ANTÔNIO DA ALEGRIA

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *