Estado faz campanha de incentivo à doação de sangue

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

Ter, 29/11/11 – 09h0

Ação é para evitar queda de até 30% no número doadores em período crítico de final de ano

O Governo do Estado promove nessa semana uma ofensiva para garantir a manutenção dos estoques de sangue em São Paulo durante o fim de ano, período considerado o mais crítico pelos médicos e especialistas. A queda no número de doadores chega a 30%, principalmente por conta das férias e festas.

O objetivo é levar aos bancos de sangue um número maior de voluntários e fidelizar a doação, transformando assim a doação esporádica em regular. Para as ações foram investidos R$ 1 milhão em publicidade para atrair novos voluntários.

“A doação de sangue é um ato de amor ao próximo e é muito importante. Nós temos, em primeiro lugar, a questão das grandes cirurgias, politraumatizados que têm grandes hemorragias e é desesperador você, numa cirurgia, não ter sangue para fazer transfusão. Em segundo lugar, as doenças oncológicas, as leucemias”, afirmou o governador.

“Um ato voluntário e solidário como o de doar sangue ajuda a salvar vidas. Por isso é tão importante que a doação deixe de ser apenas esporádica e se torne rotineira na vida de todos os possíveis voluntários”, afirma o secretário da Saúde.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3% a 5% do total da população. Contudo, segundo dados do Ministério da Saúde, este índice no Brasil está bem aquém do preconizado, não chegando a 2%.

“Do sangue tudo se aproveita: as hemácias, o plasma, as células. As pessoas até 67 anos de idade podem doar desde que atendam ao protocolo. Então eu diria que é muito importante e a população é muito generosa. Sempre que está baixando o estoque de sangue se faz uma campanha e as pessoas atendem e são muito fiéis ajudando sempre o banco de sangue”, lembrou Alckmin.

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 67 anos, pesar mais de 50 quilos e apresentar documento de identidade original (com foto). O doador deve estar em boas condições de saúde, descansado (ter dormido, no mínimo, seis horas) e alimentado.

Os voluntários não devem ter consumido alimentos gordurosos até quatro horas antes da doação e nem ter consumido bebida alcoólica nas 12 horas anteriores. Não pode doar sangue quem teve hepatite após os 10 anos de idade, é usuário de drogas injetáveis ou é portador de hepatite B, hepatite C ou Aids.

Da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo

Artigo Anterior

NÃO CUSTA NADA FICAR DE OLHO

Próximo Artigo

Altinópolis enfiou a cara no crack

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *