Vendedores Clandestinos Invadem Altinópolis.

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Vendedores Clandestinos Invadem Altinópolis.

Fomos procurados na manha de hoje, 25/04/2011 em nosso escritório, pelo senhor Gilberto Fiori (Gilberto gás) que nos relatou um fato que até então nós desconhecíamos: A invasão de vendedores clandestinos nos finais de semana em nossa cidade.

Vendem de tudo e não pagam imposto de nada, 90% destes vendedores, segundo Gilberto vem de fora da cidade.

Comerciante em nosso município, pagador religioso de seus impostos, indignado com o abuso, ao presenciar o fato, Gilberto fez o que é correto e procurou a prefeitura municipal para denunciar e saber por que o fiscal da própria prefeitura não estava fazendo a fiscalização.

A resposta que Gilberto obteve junto à entidade foi no mínimo estranha e eu mesmo na presença de Gilberto também liguei na prefeitura, falei com mesma pessoa “Gabriel Pereira de Castro” da divisão de fiscalização e a resposta foi a mesma, ou seja, a prefeitura não tem fiscal.

Ainda segundo Gabriel, o fiscal que havia na prefeitura passou em concurso e assumiu novo cargo e para tanto, a prefeitura estaria providenciando novo concurso para contratar novo fiscal. (NÃO COLA!) Como que o antigo fiscal trabalhava então? Se agora que prestou concurso, significa que antes não tinha, e porque agora para contratar um novo fiscal precisa de concurso? Mais um ato falho da administração.

Imaginem os senhores: comerciantes de nossa ou de outras cidades que pagam impostos caríssimos, geram uma infinidade de empregos, recolhem impostos sobre seus funcionários, trabalham dentro da mais absoluta legalidade e por fim terem que concorrer com ambulantes clandestinos na porta de suas casas e de seus estabelecimentos sem que ninguém faça nada. Isso tem que acabar, ou então, os comerciantes que parem de pagar seus impostos, pois, já que uns podem, todos deveriam poder. Altinópolis se mostra terra de ninguém até em questões elementares.

Toda esta concorrência desleal além de gerar prejuízos ao comercio, ainda coloca em risco a vida da população desavisada!Pelas informações que Gilberto nos trouxe, neste final de semana uma caminhonete vendia gás pela cidade. Isso é o cumulo do absurdo! Saibam que as regras para se vender gás são das mais rigorosas, uma vez que o produto trás riscos de explosão. A estocagem, a procedência, a confiabilidade de quem vende o produto devem ser levadas em consideração por todos nós ou você poderá estar instalando uma BOMBA em sua própria casa.

Reflitam: você que compra gás clandestino, sem procedência, caso haja um vazamento do produto a quem você vai procurar? Pense nisso, afinal você pode até estar pagando míseros reais mais barato, mas a pergunta é simples; vale à pena? Veja o risco que você e sua família correm. O próprio corpo de bombeiros orienta a comprar gás apenas de postos credenciados. Por ai podemos imaginar o tamanho do risco que podemos estar correndo.

Temos que aprender a valorizar o comercio legal local; temos que aprender a lutar por nossos direitos enquanto consumidores; temos que parar com a lei da vantagem em tudo e cabe aos órgão fiscalizadores, neste caso a prefeitura, tirar a bunda da cadeira que é nossa e passar a ser mais rigorosa no aspecto fiscalizador.

Quero lembrar ao senhor “Gabriel”, aliás, uma pessoa muito bem educada, que o fato de o senhor ter entrado em contato com a policia, não retira a responsabilidade de vocês. Este trabalho não é da policia e sim do município.

Esta prefeitura, esta gestão, alem de não incentivar o comercio local, ainda contribui com a concorrência desleal. Temos uma associação comercia aqui na cidade que pelo visto também não apita nada e nada faz para mudar este quadro. Vamos acordar Altinópolis!

Ademir Feliciano

Filiado à ABRAJIAssociação Brasileira de Jornalismo Investigativo

 

Artigo Anterior

Curtinhas do Altiaqui!

Próximo Artigo

Polemico projeto de parceria entre OSCIP Sabiá e “Barreiros” ENTENDA!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *