250 mil reais de contrato para assessoria de imprensa que não sabe o nome dos Reis Magos!

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

250 mil reais de contrato para assessoria de imprensa que não sabe o nome dos Reis Magos!

Aí me da dor nos bagos!

O site oficial da prefeitura de Altinópolis, muito “BEM” Assessorada por empresa de imprensa com valor de R$ 250.000,00 em contrato, divulga em lastimosa meteria, o resultado da festa de “Santos Reis e erra crassamente o nome de um dos magos.

E ainda dizem que a festa não é folclórica, e sim religiosa… Ai sim ah de se entender: nossos religiosos……………………………..!Tem até padre que até bem pouco tempo era funcionário publico. Está explicado! Vejam na matéria abaixo que até o prefeito virou repórter. Pra que pagar assessoria de imprensa então?

MELQUIADES? QUEM É MELQUIADES?

Belchior (também Melchior ou Melquior), Baltasar e Gaspar, não seriam reis nem necessariamente três mas sim, talvez, sacerdotes da religião zoroástrica da Pérsia ou conselheiros. Como não diz quantos eram, diz-se três pela quantia dos presentes oferecidos.

Talvez fossem astrólogos ou astrônomos, pois, segundo consta, viram uma estrela e foram, por isso, até a região onde nascera Jesus, dito o Cristo. Assim os magos sabendo que se tratava do nascimento de um rei, foram ao palácio do cruel rei Herodes em Jerusalém na Judéia. Perguntaram eles ao rei sobre a criança. Este disse nada saber. Herodes alarmou-se e sentiu-se ameaçado, e pediu aos magos que, se o encontrassem, falassem a ele, pois iria adorá-lo também, embora suas intenções fossem a de matá-lo. Até que os magos chegassem ao local onde estava o menino, já havia se passado algum tempo, por causa da distância percorridas, assim a tradição atribuiu à visitação dos Magos o dia 6 de janeiro.

Os nomes são Melchior, rei da Pérsia; Gaspar, rei da Índia; e Baltazar, rei da Arábia. Em hebreu, esses nomes significavam “rei da luz” (melichior), “o branco” (gathaspa) e “senhor dos tesouros” (bithisarea).
Os presentes foram: Mirra (resina extraída da árvore de mesmo nome), em sinal de sua humanidade. Incenso, para representar a divindade do Menino Jesus. E ouro, em homenagem à sua realeza.

Enquanto eu escrevia está matéria eles retiraram do ar o texto oficial. Talvez “Melquiades” os tenha avisado que eu havia visto.

Ma s segue abaixo texto extraído da pagina oficial há poucas horas atrás.

Ai vão nossos R$ 250.000,00.

EH! Artirossiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Ademir Feliciano

Filiado à ABRAJI-Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo

Prefeitura Noticia Balanço de Uma das Maiores Festas de Reis do Estado Postada em : 26/01/2011 – 15:17:36

”…O Santo Reis Aqui Chegou, Com Alegria e Muito Amor..( errou o nome de um dos reis)

Uma das lendas locais mais contadas pelos moradores é a do sumiço de uma companhia de reis dentro da gruta mais famosa do município, a de Itambé. Na 39ª Festa da Folia de Reis de Altinópolis, as trinta companhias participantes, (três estados), disseram ”não ter tido tempo para visitar a gruta“, preferiram trocar acordes de viola e cantorias na praça da matriz, bem juntinho à um público recorde de 25 mil pessoas, que passaram pela maior festa de reis urbana do Estado.

“Altinópolis, ‘‘a rainha do folclore do nordeste paulista” tem até uma Associação Folclórica, desde 1971, que insiste: ”Folia de Reis não é folclore, é manifestação religiosa.

Trocando Chimarrão com Pingado e Pão de Queijo

Grupos de reizados de Minas, São Paulo e Santa Catarina, oportunidade para ouvir e ser ouvido e trocar culturas – café com leite, chimarrão e pão de queijo. ”Sempre achei o canto de reis triste,muito bonito e triste, mas aqui em Altinópolis conheci a Folia de Reis alegre, diz Ana Cíntia Faleiros, de São Paulo, visitando a 39ª festa.

Mesmo respeitando a posição de quem vê tristezas e alegrias inseparáveis nos temas natalinos, o presidente do Terno de Reis Taquaras, de Camboriú-SC, João Batista Conceição ao lado de sua garrafa de chimarrão respondeu: ”Como é que vai ser triste se é o nascimento de Cristo?

”Nunca fomos tão bem recebidos, diz João Batista, na troca de acordes com grupos como o do reizeiro Osvaldo da Silva, de Arceburgo-MG. ”Não há explicação para essa emoção, tá no sangue ou não tá, diz seu Osvaldo.

Gente Jovem Reunida


Também organizadora voluntária do evento, a professora Regina, que também é Reis, explica o sucesso da festa que teve céu limpo, sem chuvas e público recorde: ”Fiz uma conversa antes com Baltasar, Belquior e
Melquíades (os 3 reis magos).

O Jovem sanfoneiro de São Sebastião do Paraíso, Clenilson Marçal apenas observa quando perguntado sobre o movimento da festa. Considerado um dos melhores acordeonistas da Congada de S. Sebastião, a primeira vez que subiu ao palco com o instrumento foi aos 8 anos de idade, em Altinópolis.

O acordeonista Netinho Frighetto, neto do fundador da festa de reis de Altinópolis representou todos os músicos do município ”vários músicos daqui estão sendo reconhecidos no Brasil e exterior . Netinho foi entrevistado pelo prefeito Marco Ernani Nanão, à pedido da produção do Documentário sobre a Folia de Reis de Altinópolis, que está sendo dirigido pelo projeto Força Jovem e a Oscip Sabiá, (em breve será apresentado).

Ao receber em casa, a visita de uma equipe de TV e de uma das companhias de reis, seu Florindo Malagutti que acaba de receber alta hospitalar falou alto, com firmeza e saúde renovada: ”De agora para a tarde eu sarei.

De Reis Para Quem Nunca Quis Ser Rei

”Hoje, Jesus não precisa de incensos, mirra ou ouro (alguns dos presentes dos reis magos ao menino Jesus),ele precisa de nós, opina Nadinho Frighetto, organizador voluntário da festa. Nas letras das companhias de reis e nos textos da missa estão os valores humanos universais ”obrigado, ofereço abraço, amigo,canto, abençoe, morada, Deus te dê em dobro, desejo para quem está ouvindo…

No domingo de reis, no mesmo prédio onde eram servidas 1.200 refeições, o almoço das companhias de reis, aconteciam as provas para um novo concurso público municipal para professores. Segundo os organizadores, nenhuma interferência sonora ou física atrapalhou os candidatos. Na praça da matriz, jovens dos projetos sociais da cidade vendiam doces e artesanatos temáticos, produzidos no programa Força Jovem. E os da Orquestra Sabiá, há apenas um ano e meio estudando música erudida, apresentaram composições tipicamente reizeiras com arranjos eruditos.

Folia de Reis Ajuda o Rio de Janeiro
A grave situação dos desabrigados do Rio de Janeiro preocupou os reizeiros, então, Prefeitura, Trupe Alegria e Farrapos, ACEA, Lions e Rotary Clube, igrejas da cidade e Polícia Militar uniram-se à campanha nacional e até o final do mês devem enviar os produtos doados. As Companhias de Reis também arrecadaram dos presentes, donativos que devem ser encaminhados ao Lar dos idosos S. Vicente de Paula (Balanços em execução, serão publicados www.altinopolis.sp.gov.br).

Cenas de Reis

A companhia de Reis de Blumenau-SC, FAMÍLIA DIAS, desde 1919 na estrada, compareceu com netos e sobrinhos para a cantoria de Terno de Reis. O reisado da família, tem origem nas colônias alemãs, colonizadas por açorianos.
Vestindo calças brancas, sucesso com uma das poucas companhias de reis femininas do país, da cidade de Cajamar-SP , assim como também a Cia. de Milagres-MG, que trouxe um Frei como embaixador.

A Missa Campal no encontro das fés e das orações à ” Mãe de Deus, representada com Jesus (morto nos braços, após a crucificação), a Mater Dolorosa Nossa Senhora da Piedade. Dezenas, talvez centenas de fiéis agradecidos. Céus e terras passarão, mas a palavra não passará.

Economia com Fé

A Festa de Reis é motivo de comemoração para os comerciantes e para a rede hoteleira local. Segundo a Associação Folclórica, foi o melhor movimento dos últimos anos.

Na montagem da barraca, pausa para o descanso com o baralho, afinal, foram dias de viagem de ônibus, como seu Carlos Laercio de Souza, vindo de Salvador

Aproximadamente cem comerciantes ambulantes de vários estados trouxeram suas barracas com produtos alimentícios e roupas, ferramentas, panelas, discos. Segundo dados da Prefeitura que organizou a distribuição dos ambulantes na festa, foram arrecadados R$ 41.360,00. São vendedores de Minas Gerais, São Paulo e Bahia, pessoas como dona Maria Augusta de Souza, moradora do bairro da Penha em São Paulo ” Eu troco a feira das nações por uma festa de reis. Dona Augusta vende roupas e justifica: ”O motivo é uma graça, me salvei de um assalto, caixa mesmo faço em outros tipos de festa. Maria do Socorro da Silva é moradora de Altinópolis e pela primeira vez como vendedora ambulante na Festa de Reis. “Tô muito confiante,vou inclusive montar um carrinho de lanches fixo no meu bairro.

Pela primeira vez, a festa recebeu ambulantes estrangeiros, como os Los Chayas, de Cusco, Peru e o grupo do Equador, Salasàka, que vendiam o disco Yaris – ”Significa Pensar Muito, disse o ambulante equatoriano. Luz aos pensamentos de todos.
************************************************************************

Folia de Reis: História


A música é um dos elementos fundamentais desse universo, parte integrante da cultura. A toada, o toque de viola são estilos musicais que não se dissociam das práticas lúdico-religiosas da cultura dos pequenos sitiantes, os autores desse rico universo cultural.
De acordo com estudos realizados por folcloristas, historiadores e etnomusicólogos, muito dessas manifestações são de origem européia e se mesclaram com aspectos da cultura indígena e, em alguns casos, das tradições africanas.
O canto em duas vozes, em intervalo de terça, característico das duplas caipiras, é outra herança européia. Segundo informações do livro ‘Música Caipira: Da Roça ao Rodeio, autoria de Rosa Nepomuceno em 1999, é provável que as vozes agudas dos cantores tenham raízes ameríndias, talvez as raízes da chamada música sertaneja.

As relações de Fé


As folias de reis tratam de uma relação espiritual especial entre o homem e o divino.”Valeu a pena esses dois anos, botar a casa em ordem e aqui celebrar o encontro das famílias, pronunciou o prefeito. Essas manifestações mantêm uma forte presença no interior do Brasil, especialmente nas regiões cafeicultoras e de cana de açucar. Músicólogos como Carlos Rodriguez Brandão (1977) e Alceu Maynard Araújo (1949), confirmam que a tradição é de origem Ibérica e foi trazida ao Brasil por colonizadores portugueses.
Na região Sudeste do Brasil a tradição da folia de reis, principalmente nos estados de Minas Gerais e São Paulo, é influenciada pela variedade de rítmos regionais e os versos das toadas articulam as aspirações pessoais e interpretam a visão do mundo dos participantes.

www.altinopolis.sp.gov.br

 

 

 

 

 

 

 

Artigo Anterior

SOLIDARIEDADE DO ALTINOPOLENSE COMOVE A TODOS!

Próximo Artigo

Morre presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *