Ficha Limpa perde força: TSE anula condenação, e Garotinho garante vaga na Câmara

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Ficha Limpa perde força: TSE anula condenação, e
Garotinho garante vaga na Câmara

Extraído de: Agência Serra –  22 horas atrás

O Tribunal Superior Eleitoral determinou nesta terça-feira que seja devolvido à primeira instância o processo em que o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR-RJ), tinha sido condenado por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. Com isso, a condenação foi anulada e a ação será julgada novamente. Eleito com maior votação do Rio de Janeiro (694.862 votos), ele será diplomado nesta quinta-feira e poderá tomar posse como deputado federal.

Barrado pela Lei da Ficha Limpa, Garotinho concorreu com registro deferido por decisão liminar, dada pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Marcelo Ribeiro. Antes da extinção da condenação, o ex-governador ainda tinha o mandato ameaçado, caso fosse confirmado como inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral. No entanto, por 4 votos a 3, os ministros do TSE decidiram que houve irregularidade na fase inicial do processo que condenou Garotinho e, portanto, a análise deverá ser feita novamente. Os ministros entenderam que o Tribunal Regional Eleitoral julgou a ação sem que houvesse manifestação da primeira instância. Isso porque o juiz eleitoral que primeiro analisou o caso não chegou a se manifestar sobre o mérito. Não se trata de questão de direito, mas de investigação. Salta aos olhos a transgressão ao devido processo legal. Temos algo que não apenas arranha o devido processo legal, mas fere de morte, afirmou o ministro Março Aurélio Mello.

Absolvido, Maluf recorre ao TSE para ser diplomado deputado

Após decisão favorável no Tribunal de Justiça de São Paulo, o deputado federal Paulo Maluf recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral para ter sua reeleição reconhecida. Em São Paulo, 497 mil votos garantiram a Maluf, em 31 de outubro, o posto de terceiro mais bem votado para a Câmara, atrás apenas de Tiririca e Gabriel Chalita. O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, contudo, barrou sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. Maluf era acusado de participar em um esquema para superfaturar uma compra de frangos pela Prefeitura de São Paulo, nos anos 90.

Fonte: Jusbrasil

Artigo Anterior

Mortes de jornalistas caem em 2010, mas número ainda é alto; Paquistão é país mais perigoso

Próximo Artigo

TSE rejeita recurso contra decisão que beneficiou Paulo Maluf

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *