Morre em São Paulo o senador Romeu Tuma aos 79 anos

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Morre em São Paulo o senador Romeu Tuma aos 79 anos


O senador Romeu Tuma (PTB-SP), de 79 anos, faleceu nesta terça-feira (26/10), às 13h, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em decorrência de uma hemorragia. O corpo será velado na Assembléia Legislativa de São Paulo, conforme informações da assessoria do parlamentar.

O senador foi submetido, no último dia 2, a uma cirurgia cardíaca, para colocação de um dispositivo de assistência ventricular que auxilia o coração, chamado Berlin Heart. Desde então, seguia internado.

Carreira

Romeu Tuma nasceu em 4 de outubro de 1931, na cidade de São Paulo. Casado com Zilda Dirane, Tuma teve quatro filhos e nove netos. Descendente de imigrantes libaneses ingressou na carreira policial aos 20 anos de idade. Tornou-se investigador por concurso público e, em 1967, delegado de polícia, após formar-se em Direito. Chegou então a Diretor de Polícia Especializada, na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Entre 1977 e 1983, dedicou-se a esclarecer casos de seqüestros.

Em 1983, assumiu a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo. Exerceu, em seguida, a função de diretor-geral da Polícia Federal. Durante o governo de Fernando Collor (1990-1992), acumulou os cargos de superintendente da Receita Federal e diretor-geral da Polícia Federal.

Em 1991, passou a ocupar uma Vice-Presidência da Organização Internacional de Polícia Criminal (OIPC-Interpol), que congrega as polícias de 186 nações.

Em 1995, afastou-se do Poder Executivo para cumprir, pelo PL, seu primeiro mandato de senador por São Paulo, com mais de 5,5 milhões de votos. Em 2002, reelegeu-se pelo PFL, com 7.278.185 votos, para o mandato até com fim em 2011. Em 2003, foi eleito 1.° Secretário da Mesa Diretora do Senado, o quarto cargo em importância na hierarquia parlamentar. Mais tarde, filiou-se ao PTB. Tuma foi candidato à reeleição em outubro, mas, impossibilitado de participar da campanha em razão do tratamento de saúde, não foi reeleito.

No Senado, foi Corregedor – cargo até hoje somente exercido por ele – e focou sua atuação em questões ligadas à segurança pública.

O 1º suplente de Romeu Tuma é Alfredo Cotait. O 2º suplente é Alexandre Honore Marie Thioillier Filho.

Autor: Agência Senado

Eu me solidarizo com a família do nobre Senador, em nome do carinho e amizade que sempre nutri por ele e por seu filho Romeu Tuma Junior.

Ademir Feliciano

Artigo Anterior

Se lei de controle da imprensa vigorar, OAB deve levar caso ao STF

Próximo Artigo

Colégio de Seccionais da OAB repudia criação de controles sobre a imprensa

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *