COLUNA DE ADEMIR FELICIANO

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:


EXISTEM JORNAIS E jornais… EXISTE IMPRENSA E imprensa….

Com a globalização, o mundo se tronou muito pequeno, as noticias chegam e saem como num piscar de olhos, basta um “enter” na tecla de um computador, um “click” num aparelho celular, pronto, o que antes demorava horas para ser publicado, agora acontece quase que instantaneamente.

Ficou bem mais fácil e rápido informar, e com toda tecnologia disponível, bem mais fácil e rápido, informar bem informado. Deveriam os meios de comunicação, seja escrito, radiofônico, televisado ou o mais recente “internetico” aproveitar o gancho da liberdade de se manifestar de forma livre, sem a calamitosa caneta da censura, e mostrar sem sombra, sem medo, sem meias verdades, toda realidade das noticias que veiculam.

 

Mas não se prestam a asse papel, fazem da imprensa um meio apenas de lucrar, e quando o lucro sai dos cofres públicos pior ainda, ai é que maquiam mesmo, dão ao demônio, estatus de deus, publicam as maiores inverdades, atendem aos interesses dos mandantes do poder sem sequer se importar com seus leitores, leitores?…. Isso é só mais um detalhe.

Fomentam sem perceber, mas às vezes percebendo mesmo, a continuidade da corrupção, da proliferação dos crápulas, e fazem isso de bom grado, para não perderem o quinhão do sustento que tiram dos cofres públicos.

 

O papel da imprensa deveria ser cumprido à risca, quem tem o poder da informação não pode destorcer os fatos apenas para agradar os seus pagantes, principalmente se esses pagantes forem: quem administra a maquina do estado.

Chegam alguns jornais ao disparate de publicar em suas paginas, absurdos mentirosos sobre administrações falidas e sem o mínimo de compromisso com o social, apenas para atender os interesses de quem detem o poder. Transformam incompetência administrativa, em exuberância de qualidade de vida, ou pelo menos tentam transformar, porque o leitor, esse não se deixa mais levar pelas mentiras estampadas em paginas sem a menor credibilidade.

Se agarram alguns setores da imprensa em 4 ou 8 anos de mandatos, ajudando a sugar o néctar do que é publico, por saberem não ter competência para mais nada, pois quando o mandato findar, ou se apegam a outra teta gorda, ou fecham as portas do jornal.

Esse modelo de imprensa mandada, dos tempos da ditadura sangrenta, não cabe mais nos dias atuais, e esses homens não se apercebem disso, não vêem que também estão sendo usados, e que estão se prestando ao papel de advogar contra si. Pois tornam clara sua incapacidade ante a inexistência da maquina do estado.

Vergonha é algo que a politicagem não tem, e isso já está claro, porem, a imprensa tem que ter. Como formadora de opinião, deve exercer a imparcialidade e a independência em prol do coletivo, fazendo jus a conquista da liberdade de expressão e do fim da censura.

È muito fácil ser imprensa assim, medrosa, mandada, incompetente. Lambem o chão por onde passa o poder, comem juntos das bolotas que deveriam ser dadas aos porcos, misturam-se a imundície dos chiqueiros governamentais e não querem se sujar. São tão ou mais sujos que eles.

Nojo é palavra certa para definir esse tipo de imprensa, que teima em continuar, mas seus dias estão contados, os tempos são outros. Você imprensa suja, se fosse seria, sequer cobraria dos cofres públicos para publicar o que quer que fosse, e se valeria de sua credibilidade para vender seus horrorosos periódicos, que de tão insignificantes que são se obrigam a ser ultrapassados, com noticiário velho e mentiroso, e nem preço pode por, pois por menor que fosse, pela qualidade de suas publicações, já assim, seria muito caro.

 

Da pra viver e viver bem de informação, desde que essa informação não seja maquiada. A independência é pra poucos, a imparcialidade também, porem esses poucos independentes e imparciais, deitam a cabeça no travesseiro e dormem em paz. E você pau mandado, consegue ter paz? Da pra olhar nos olhos do seu filho e dizer com toda sinceridade: “Estou Cumprindo Bem o Meu Papel de Informar Verdadeiramente”?

Você ainda deve ter um pouco de vergonha na cara. Faça valer enquanto é tempo, porque “eles” em breve estarão fora do poder, e ai ???????

 

Um grande abraço e até a próxima.

Ademir Feliciano

 

 

 

 

Artigo Anterior

COLUNA DE IRÃ DE ALMEIDA FELICIANO

Próximo Artigo

COLUNA DE MOISÉS MIGUEL

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *